24.10.12

[Resenha] Qual Seu Número? - Karyn Bosnak

Título Original: What's Your Number?
Autora: Karyn Bosnak
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 414
Avaliação: 4/5
Sinopse: Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.

Desde que eu li o primeiro chicklit, que foi Antes Tarde que Mais Tarde da Liana Cupini, eu me encantei pelo gênero e não parei mais. Agora eles estão aos montes na minha estante e acho que já posso me considerar uma fã do gênero, pois é o que mais tenho lido ultimamente.
Peguei "Qual Seu Número?" para ler com uma expectativa enorme e, felizmente, eu não me decepcionei. O livro é hilário do início ao fim.
Bom, já poderíamos imaginar que alguém que roda o país em busca do "ex da sua vida" não é muito normal. E Delilah realmente não é. Ela se mete em cada roubada só para não aumentar seu número. E, se não fosse o bastante, ela acaba de perder o emprego e sua irmã mais nova vai casar, fazendo com que sua mãe a pressione ainda mais, achando que ela é lésbica (o que rende um dos diálogos mais engraçados do livro) ou uma solteirona.
Mas tudo seria mais ou menos normal, e menos vergonhoso para ela, se ela não contratasse como detetive seu vizinho Colin, um irlandês bonitão que ela mal conhece, com a desculpa de que irá dar uma festa e precisa chamar uns amigos que não vê a muito tempo.
Ele fica meio desconfiado, mas resolve ajudar, e aí que começa a jornada da Delilah em busca do seu amor do passado.
O livro cumpre bem o seu papel e rende boas risadas. Um enredo que, a princípio, para meio absurdo se torna perfeitamente aceitável porque a personagem principal realmente acredita naquilo. Ela não pode se relacionar com mais alguém de jeito nenhum senão jamais encontrará o cara certo. E ela está tão obcecada por essa procura que usa o dinheiro de sua indenização para financiar a viagem e decide que só vai procurar um emprego ao fim das seis semanas que o dinheiro durarão, mesmo sob os protestos de sua melhor amiga, Michelle.
Ela é bastante engraçada, principalmente quando está falando com sua cachorrinha,  quando está pensando coisas absurdas ou tentando fugir de sua mãe.
A história transcorre de maneira agradável e quando percebemos o livro já acabou. Com um final incrivelmente bom, diga-se de passagem.
Super recomendo para quem está com vontade de ler algo leve, com uma protagonista hilária e um cara bonito, sexy e engraçado (porque ninguém é de ferro né rs).

Um super beijo e até a próxima.