1.12.11

[Resenha] Cartas de Siracusa - Douglas Marques

Título: Cartas de Siracusa
Autor: Douglas Marques
Número de páginas: 164
Editora: Oficina dos Livros
Avaliação: 5/5
Sinopse: Os maiores acontecimentos da humanidade sempre se iniciaram de forma sorrateira e calculada. Não seria diferente para Rachel Atkins desta vez. Quando um misterioso assassino invade toda a rede mundial de computadores divulgando cartas contendo segredos de Estado, Rachel se vê no centro de um macabro círculo de assassinatos e segredos seculares. Tendo como pano de fundo a Agência de Segurança Norte-Americana, paixões e perseguições internacionais, Cartas de Siracusa conta a história de Il Mittente, o homem que desafiou a humanidade e desvendou seu maior segredo: Sua própria história.


Antes de qualquer coisa, queria avisar que qualquer adjetivo que eu utilize para descrever esse livro será insignificante perto dele. Que o Douglas, o Doug, escrevia bem eu já sabia. Sua trilogia anterior era prova disso. Mas nesse livro ele se superou.
Tudo começa quando Theodor Rowling, presidente dos Estados Unidos da América, discursa para o mundo inteiro anunciando o fim da guerra no Oriente Médio. Um fato forte que com certeza garantiria sua reeleição e seria o centro das atenções dos veículos de comunicação por um bom tempo se não houvesse um imprevisto: um louco invade a rede mundial de computadores, divulgando uma carta, prometendo mais duas onde supostamente revelará toa a verdade, toda a história da humanidade. 
O tal louco, consegue fazer tudo isso driblando a NSA e seu ultra-secreto projeto ECHELON que tem como coordenadora-chefe a competente Rachel Atkins, que logo se vê mais envolvida do que gostaria nessa trama recheada de tensão, segredos e assassinatos que convergem para Siracusa, na Itália, onde acontece uma tragédia que abala a Igreja Católica. Seria o apocalipse?

Só pela sinopse o livro já tinha me prendido e assim que comecei a ler não consegui mais parar. A narração é tão eletrizante que isso é impossível.
Como em todo livro do Doug, o ponto forte sãos os personagens muito bem construídos. A começar pela protagonista, Rachel Stkins. Forte e decidida é uma mocinha do jeito que eu gosto, apesar de ter seus momentos de frescura rs fraqueza (é humana né). Sem contar sua inteligência que me deixou boquiaberta durante muitos momentos.
Ela recebe de seu chefe, Peter Silkwood, a missão de descobrir como e por que Il Mittente (o tal "terrorista") invadiu a rede mundial e está divulgando suas cartas perturbadoras.
Rachel contará com a ajuda de Maxwell Farkas, um bonito agente de seu grupo e Ingrid e Ox, dois jovens e inteligentíssimos agentes da NSA, além do delegado italiano, Verlangieri.
Gostei muito do Max, ele é o tipo de cara que sempre me encanta nos livros. Ingrid e Ox são tão, mas tão fodas ( e nerds) que bate aquela invejinha. E Verlangieri... que cara divertido!
O livro tem tudo que precisa para ser perfeito: suspense, terror, ação, uma pitada de romance (porque ninguém é de ferro né?) e um final surpreendente.
Quando terminei de lê-lo pensei no porquê de certas pessoas ainda insistirem na bobagem de não ler livros nacionais. Cartas de Siracusa não deve em nada a outros livros do gênero, escritos por autores famosos.
Me orgulho muito de ter um compatriota que escreva algo tão bom (e que com certeza lerei mais vezes) e que é mais um dos que começaram na NRA. CDS já entrou para a lista dos meus favoritos.
Super indico e, só tenho uma dica a dar: prepare-se para a depressão pós-livro.

Quotes:

"(...) - Estamos falando de seres humanos. Dos animais mais racionalmente desprezíveis deste planeta. Somos capazes de tudo, Max."
                                           pág. 109

"Talvez o que difira loucos de pensadores seja, de fato, a tênue linha que separa até onde iremos por nossos objetivos.
(...)
Humanos. Pateticamente frágeis.
Impossivelmente incapazes de desistir de algo que acreditam."
                                                                        pág. 157